Connect with us

Inovação

Personalização impulsionada por inteligência artificial pode ser o futuro do varejo

Published

on

Personalização

Recomendações com base em personalização impulsionadas por insights de inteligência artificial (IA) estão transformando a maneira como as empresas abordam o varejo omnichannel, desbloqueando novas oportunidades de crescimento e inovação.

Sibojyoti Chatterjee, diretor-geral do KFC no Vietnã, disse que a IA permite que as empresas entendam profundamente os consumidores, oferecendo recomendações de produtos personalizadas com base em insights. Além disso, algoritmos impulsionados por IA fornecem análises preditivas e ajudam as empresas a antecipar a demanda e otimizar a gestão de estoques.

“A maioria das empresas está fazendo varejo omnichannel; elas já têm os fundamentos em vigor”, disse Chatterjee aos participantes do recente Fórum de Varejo da Ásia em Ho Chi Minh City.

“O que é diferente é que, à medida que as iniciativas de comércio omnichannel amadurecem, as empresas estão melhorando nisso, tornando as transações mais sem atrito, e algumas estão implementando IA, que está potencializando todas as suas iniciativas em torno do comércio omnichannel”, disse ele.

Chatterjee também destacou a evolução dos chatbots no comércio conversacional, revolucionando as interações com o cliente e a mensagens de marketing em todos os canais.

“A mensagens de marketing otimizadas para os clientes estão mudando não apenas com quem nos comunicamos, mas em qual canal nos comunicamos com eles e em que horário do dia”, disse ele.

O executivo empresarial também citou como a IA desbloqueia análises de dados perspicazes e impulsiona a tomada de decisões além das capacidades humanas. Isso acontece especialmente quando a IA é combinada com tecnologias como machine learning, aprendizado profundo, Processamento de Linguagem Natural (PLN) e visão computacional, impulsionando ainda mais mudanças significativas.

“A IA, juntamente com essas tecnologias centrais e tecnologias adjacentes como realidade aumentada, robótica, automação de processos robóticos e todas essas se juntam para criar às vezes experiências muito únicas”, disse Chatterjee.

Ele mencionou, por exemplo, que a Sephora usa provas virtuais impulsionadas por IA para descoberta de produtos personalizada, enquanto a Nike otimiza sua cadeia de suprimentos usando análises de dados em tempo real.

A Starbucks é uma que emprega IA para personalizar interações com o cliente por meio de seu aplicativo digital. E então, há a Amazon, que alavanca IA, machine learning e robótica para gerenciamento de inventário eficiente e precificação dinâmica.

É claro que essas implementações não são realizadas sem desafios, então Chatterjee também discutiu preocupações como preconceitos, questões de privacidade e integração com o público do fórum no Vietnã em 14 de março passado.

“Às vezes, pode não criar uma experiência muito personalizada para o cliente”, disse Chatterjee. “O cliente pode se sentir perdido ao entrar em um aplicativo e pensar: ‘Meu Deus, eu realmente não gosto do que vejo lá dentro. Não está realmente atendendo ao meu gosto’. Então, todas essas coisas podem acontecer.”

Ainda assim, Chatterjee permanece otimista em relação ao futuro da IA, mencionando desenvolvimentos empolgantes como o Apple Vision Pro da Apple e o potencial da realidade aumentada no varejo.

 

 

Imagem: Envato
Informações: Jaleen Ramos para Retail Asia 
Tradução: Central do Varejo

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *