Connect with us

Economia

Prévia do IPCA de junho é de 0,39%

Resultado é menor que o de maio, mas maior que o do mesmo mês do ano passado; o principal impacto foi de alimentos

Published

on

moedas de real, crescimento do PIB, economia brasileira

De acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15), divulgado pelo IBGE ontem, a prévia da inflação de junho é de 0,39%. O índice é 0,05 p.p. abaixo do resultado de maio (0,44%); por outro lado, a prévia de junho deste ano está acima do observado no mesmo mês do ano passado, de 0,04%. No acumulado do ano, o IPCA 1,04%; já nos últimos 12 meses, a inflação está em 4,06%.

Em relação aos nove grupos analisados, sete tiveram variação positiva (inflação). Alimentação e Bebidas foi o que mais teve impacto sobre o índice (0,98%); a Alimentação no domicílio acelerou de 0,22% em maio para 1,13% em junho; os itens que mais encareceram foram batata inglesa (24,18%),  leite longa vida (8,84%), arroz (4,20%) e tomate (6,32%). A alimentação fora do domicílio também acelerou (0,59%) em junho, com aumento principalmente do lanche (0,80%) e da refeição (0,51%).

Outros grupos com inflação foram Habitação (0,63%), em decorrência de mudanças nos preços da taxa de esgoto em São Paulo, Brasília e Curitiba e na energia elétrica residencial; e saúde e cuidados pessoais (0,57%), influenciado pelo reajuste nos planos de saúde (0,37%); vestuário (0,30%), despesas pessoais (0,25%), comunicação (0,17%) e educação (0,05%).

Na direção contrária, os únicos dois grupos que recuaram foram o de transportes (-0,23%) e artigos de residência (-0,1%). Em transportes, que vem decrescendo nos últimos meses, os principais responsáveis foram a passagem aérea (-9,87%), etanol (-0,80%), gás veicular (-0,46%), óleo diesel (-0,42%) e gasolina (-0,13%).

Em relação às áreas pesquisadas, todas as onze tiveram inflação em junho, de acordo com a prévia, com maior alta em Belo Horizonte (0,68%), e o menor resultado em Belém (0,16%).