Connect with us

Economia

Alimentação fora do lar tem alta de 14,4% em março

Patamar de crescimento é o maior registrado nos últimos tempos de acordo com pesquisa do Instituto Foodservice Brasil

Published

on

Três pessoas, uma mulher e dois homens estão à mesa de local público, conversando e sorrindo. À mesa, têm taças guardanapos e pratos

O setor de alimentação fora do lar fechou março de 2024 com o maior patamar de crescimento dos últimos tempos, o que corresponde ao aumento nominal nas vendas de 14,4% e real (descontada a inflação) de 9,7%, em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados constam no Índice de Desempenho Foodservice (IDF), pesquisa realizada mensalmente pelo Instituto Foodservice Brasil com suas 17 redes associadas.

No recorte do fim de semana de Páscoa, essa evolução da alimentação fora do lar foi de 17,2%. Já na comparação com mesmas lojas, a alta nominal em março foi de 10,8% em relação ao mesmo mês de 2023. No acumulado do ano, por sua vez, o crescimento total nominal foi de 11,5%.

O estudo também mostra que a participação do delivery representou 22,8% do total das vendas; em março de 2023, o índice era de 21,5%.

Em relação ao número de transações, o aumento foi de 8,6% quando comparado ao mesmo mês de 2023. Já no acumulado do ano, o crescimento foi de 5,6%. 

Agora, quando se fala em ticket médio das redes, a evolução alcançou 2,7% no período de um ano, chegando a R$ 42,50 em março de 2024, contra R$ 41,40 em março de 2023.

As lojas localizadas nos centros comerciais, como shoppings, supermercados, aeroportos e strip malls, registraram variação de faturamento de 12,9% na comparação com março do ano anterior, enquanto as lojas de rua tiveram variação de 16,2%.

“Com o maior desempenho dos últimos tempos, esta edição reforça as perspectivas positivas em torno do foodservice que vínhamos discutindo há algum tempo. Afinal, estamos vivenciando um cenário econômico mais estável. O IDF é um importante indicador de vendas realizado exclusivamente com os associados do IFB e reúne análises que influenciam diretamente a performance do setor”, comenta Ingrid Devisate, vice-presidente executiva do IFB.

Imagem: Envato