Connect with us

E-commerce

Diretores da Saraiva renunciam em meio a fechamento de lojas

Presidente e vice-presidente da empresa deixam seus cargos após demissão de funcionários e fechamento de unidades físicas

Published

on

Imagem de estante de livros em livraria; Saraiva fecha lojas e diretores renunciam

Na última sexta-feira (22), a Livraria Saraiva anunciou as renúncias de seu presidente, Jorge Saraiva Neto, e seu vice, Oscar Pessoa Filho. O comunicado foi direcionado ao mercado e publicado na CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

Jorge Saraiva Neto, membro do Conselho de Administração da livraria, também era diretor de Relações com Investidores. Jorge e Oscar Pessoa Filho, ex-vice-presidente da Saraiva, alegaram que a renúncia se deu por questões de foro íntimo.

Marta Helena Zeni será a responsável por ocupar o posto de Jorge Saraiva Neto como diretora-presidente e de Relações com Investidores da empresa, enquanto Gilmar Antonio Pessoa ocupará a posição de vice-presidente.

Na última semana, Saraiva encerrou lojas físicas

Na última quarta-feira (20), a Livraria Saraiva efetuou a demissão dos funcionários de suas últimas lojas físicas. A rede, que está em recuperação judicial, ainda tinha cinco livrarias em funcionamento — duas em São Paulo, uma em Jundiaí, outra em Ribeirão Preto e uma unidade em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.

A livraria já foi a maior do Brasil no ramo, chegando a quase 100 lojas. Após o encerramento das unidades físicas, o site da Saraiva não faz qualquer menção a endereços de lojas, convertendo-se, essencialmente, em uma empresa restrita ao e-commerce.

A rede de livrarias passa por momentos delicados desde 2018. Em outubro daquele ano, a empresa fechou 20 lojas em um mesmo dia. Um mês depois, entrou com pedido de recuperação judicial, com dívida avaliada, à época, em R$ 674 milhões.

Gradualmente, a crise foi crescendo e a empresa não conseguiu se reerguer. Nesta semana, o caso ganhou novos desdobramentos, com uma renúncia coletiva de conselheiros, que fizeram acusações sérias contra os controladores da rede de livrarias.

A empresa comunicou, ainda, que a Assembleia Geral Especial de Preferencialistas, que havia sido convocada para a última sexta-feira (22), não foi instalada. O motivo alegado foi a restrição de quórum.

Imagem de estante de livros em livraria; Saraiva fecha lojas e diretores renunciam

Imagem: Envato