Connect with us

Operação

Com dengue em alta, ruptura de repelentes e inseticidas cresce 11%

Preço médio dos repelentes tiveram um aumento de 2,4% e o de inseticidas uma queda de 5% entre março e fevereiro

Published

on

Inseticidas em prateleira de supermercado

Uma pesquisa conduzida pela Mob2Con, principal plataforma de inteligência de dados para a eficiência operacional do varejo, revela o aumento de 11% na ruptura operacional de inseticidas e repelentes nos supermercados do país, durante o mês de março comparado ao mês anterior. O fenômeno acontece quando um produto está presente no estoque da loja, mas não está disponível para o consumidor na gôndola. O levantamento analisou 244 unidades de 11 redes supermercadistas, localizadas em 11 estados brasileiros.

Para o CEO da Mob2Con, Carlos Wayand, o aumento da ruptura operacional dos itens nos supermercados é justificado pela maior procura dos consumidores, uma vez que o país registrou recentemente a marca de 2 milhões de casos de dengue, segundo dados do Ministério da Saúde. 

“Com a demanda em alta, é natural que os consumidores aumentem a busca por repelentes e inseticidas. Por isso, neste momento, é importante que os supermercadistas abasteçam as gôndolas e realizem a compra dos produtos junto à indústria com maior celeridade. Só assim é possível assegurar um atendimento qualificado aos clientes”, explica.

Além dos dados de ruptura operacional, a Mob2Con também constatou que o preço médio dos repelentes tiveram um acréscimo de 2,4%, enquanto o valor médio dos inseticidas caíram 5% no mesmo intervalo analisado.
A seguir, confira os três inseticidas e repelentes mais vendidos no mês de março, assim como o percentual médio da ruptura operacional no período:

Repelente Raid Family 45n Rf C/2 47%

Repelente Off 100ml Spray Family 47%

Repelente Off 200ml Kids Emb Economica 44%

Imagem: Mob2Con