Connect with us

E-commerce

Temu, plataforma chinesa de e-commerce, está chegando ao Brasil

Pedido de certificação no Remessa Conforme já foi feito, o que indica que chegada está cada vez mais perto

Published

on

Temu

A Temu, plataforma chinesa de e-commerce, está prestes a chegar ao mercado brasileiro. De acordo com informações do jornal Valor Econômico, a Pinduoduo, dona da plataforma mundialmente conhecida, solicitou à Receita Federal a certificação no programa Remessa Conforme, que permite a importação de mercadorias abaixo de US$ 50 sem a cobrança de imposto de importação, aplicando apenas uma taxa de 17% de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços).

A entrada da Temu no Brasil já era esperada desde o ano passado, com impactos previstos tanto para varejistas nacionais quanto para estrangeiras já estabelecidas no país.

Ao contrário da Shein, conhecida por ênfase em itens de moda, a Temu tem um perfil diferente, com uma larga oferta de produtos que inclui pets, vestuário, brinquedos, casa e eletrônicos, tornando-a mais comparável à Shopee. O modelo de negócios da plataforma, por sua vez, é mais parecido com o da Shein no fato de auxiliar fabricantes chineses a compreender melhor as necessidades dos consumidores para aumentar a eficiência e a precisão.

Embora o aplicativo da Temu já esteja disponível para download no Brasil, ainda não é possível fazer compras através dele. Por aqui, o app já acumula mais de 3 milhões de avaliações, com uma média de 200 mil downloads mensais. Globalmente, a Temu projeta alcançar US$ 60 bilhões em vendas este ano, mais que o triplo dos valores de 2023, segundo a mídia chinesa.

A entrada da Temu no Brasil já era aguardada. Caso a isenção de impostos para compras abaixo de US$ 50 seja mantida, o aumento da concorrência pode acarretar em prejuízos ao setor varejista, de acordo com análise do Santander. De acordo com análise do banco BTG, operadores tradicionais do setor de e-commerce, como Mercado Livre (MELI34), Magazine Luiza (MGLU3) e Shopee, poderão ser mais impactados pela chegada da Temu do que os varejistas especializados.

Temu

Imagem: Reprodução