Connect with us

Inovação

Como as marcas podem impulsionar as vendas com tecidos inovadores

Published

on

tecidos inovadores

À medida que os consumidores se tornam cada vez mais proativos e sofisticados em relação à sua saúde, eles estão mais interessados em adquirir tecnologia vestível do que nunca. Graças aos wearables minimamente invasivos e com tecidos inovadores, as pessoas podem monitorar de perto todos os aspectos de sua saúde, incluindo otimização do sono, frequência cardíaca, oxigenação e muito mais.

No entanto, a monitorização vai apenas até certo ponto. Para realmente alcançar uma saúde ótima, as pessoas geralmente precisam tomar medidas, na forma de uma mudança positiva de estilo de vida ou de comportamento, para criar melhorias fisiológicas que impactem as métricas que monitoramos. O chamado para ação para as pessoas (e as marcas) é como apoiar essas mudanças da maneira menos inibitória possível.

Marcas e consumidores podem criar mudanças investindo em tecidos inovadores que ofereçam benefícios fisiológicos inerentes. Os tecidos “inteligentes” de hoje podem criar um ambiente de sono mais confortável, ajustar-se a mudanças de temperatura ou até mudar de cor com base em fatores ambientais — tornando a experiência do usuário altamente personalizada. Essa fusão de tecnologia e tecidos transforma a roupa em uma ferramenta funcional que atende à saúde, conforto e gostos estéticos dos consumidores.

Leia também: Marcas de sono de luxo conquistam consumidores mais jovens

O futuro dos tecidos inovadores está aqui

Os “tecidos inteligentes” historicamente foram conhecidos como tecidos que contêm componentes eletrônicos, como sensores, para ajudar o usuário a monitorar suas métricas de saúde. Conforme os tecidos inteligentes evoluem, um fenômeno particularmente engenhoso é o dos “tecidos bio-responsivos”, que realmente interagem com o ambiente e o usuário. Em vez de simplesmente monitorar seu estado fisiológico, os tecidos bio-responsivos podem se adaptar a ele.

As iterações iniciais incluíam tecidos inovadores que mudavam de cor com base no calor corporal, mas, à medida que o campo cresce, estão sendo feitos avanços — por exemplo, tecidos que podem fornecer benefícios de saúde e bem-estar ou tecidos especiais para curativos que melhoram a cicatrização. Há uma tremenda oportunidade para marcas de vestuário globais (pense na Nike ou Tommy Hilfiger), que não são estranhas à implementação das últimas tecnologias em suas ofertas, alavancarem uma combinação de tecidos inteligentes e bio-responsivos para ajudar os consumidores não apenas a monitorar, mas a melhorar seus biomarcadores.

Para o público da moda, esse campo em crescimento oferece um mundo de novas oportunidades. A indústria da moda historicamente está fixada em permanecer do lado inovador de novos desenvolvimentos, e formadores de opinião ou primeiros adotantes procuram marcas que agreguem valor nesse sentido para apresentá-los a algo novo. Explorar esses novos tipos de inovações têxteis permite que as marcas se destaquem em um mercado saturado, aproveitando a tecnologia de tecidos responsivos e empregando uma perspectiva sobre inovações que beneficiam o cliente.

Além disso, a inovação vai além das implementações tecnológicas, o que oferece às marcas mais pontos de interesse para empolgar os clientes. Esses tecidos podem ser feitos, por exemplo, com materiais projetados para oferecer durabilidade aprimorada — tudo destinado a atender à crescente demanda do consumidor por longevidade e valor. Em um mundo em constante mudança, onde as marcas enfrentam uma competição acirrada, elas podem se destacar fornecendo aos clientes soluções para apoiar mudanças saudáveis de estilo de vida.

Explorando inovações têxteis para impulsionar as vendas

Marcas que buscam alavancar tecidos bio-responsivos para impulsionar as vendas e atrair novos consumidores podem colher benefícios múltiplos. Um exemplo destacado está no espaço de roupas esportivas, onde o consumidor médio está constantemente buscando novas maneiras de maximizar o desempenho físico e acelerar a recuperação. Isso apresenta a oportunidade para novas categorias de produtos (muitas vezes em pontos de preço de varejo mais altos) oferecendo produtos que vão além das funções básicas para melhorar ativamente a saúde do usuário.

Marcas que atendem a uma base de consumidores tecnológicos podem enfatizar outra proposição de valor para seus clientes: as roupas que vestem podem aumentar a precisão de seus dispositivos. Pesquisadores descobriram que embutir metamateriais nas roupas melhorou a intensidade do sinal entre dispositivos eletrônicos vestíveis. Isso inclui smartwatches e outros produtos de monitoramento de saúde, bem como dispositivos médicos prescritos por médicos para rastrear insulina, glicemia e outros biomarcadores críticos da saúde.

Outras marcas incorporaram com sucesso tecnologia bio-responsiva para aprimorar a experiência do consumidor e justificar um aumento de preço. Por exemplo, a KT Tape, uma marca de fita de kinesiologia terapêutica esportiva projetada para apoiar músculos, tendões e ligamentos, elevou seu ponto de preço mais alto em cerca de 25% após incorporar tecidos responsivos em suas ofertas, apoiando ainda mais o fato de que os consumidores estão dispostos a gastar mais por tecidos inovadores que impulsionam a saúde.

Leia também: Franquia de tecnologia: saiba mais sobre opções de investimento

Os entusiastas da tecnologia não são o único público para quem esses tecidos apelam. Ao investir nessas inovações, as marcas podem mostrar seu compromisso em enfrentar desafios globais ao atrair consumidores conscientes do meio ambiente. Tecidos reciclados e ecologicamente corretos podem ser projetados para atuar como tecidos inteligentes e bio-responsivos, o que pode melhorar a durabilidade. Essa sinergia está alinhada com os valores de um grupo demográfico crescente que prioriza sustentabilidade e inovação — e como esses tipos de tecidos podem oferecer ambos, por que não aproveitar?

Finalmente, as aplicações para tecidos inteligentes vão além das vendas diretas ao consumidor, o que pode permitir que as marcas alcancem canais de vendas inexplorados. Como pesquisadores do MIT descobriram, a tecnologia que cria esses tecidos inovadores também pode ser aproveitada em ambientes de saúde e reabilitação, o que significa que há uma oportunidade de parceria e venda para organizações, bem como para consumidores. Marcas que buscam expansão encontrarão excelentes vantagens aqui.

À medida que os consumidores equilibram seus desejos por dados em tempo real com sua capacidade de influenciar positivamente esses dados além da dieta, exercício e sono, a próxima inovação estará nos materiais reais que eles usam para ter seu melhor desempenho. A próxima geração de tecidos inteligentes e bio-responsivos surgiu como soluções ideais. As marcas, por sua vez, podem aproveitar o crescente interesse dos consumidores e desenvolver novos tipos de vestuário que maximizem o desempenho, a responsabilidade corporativa e os lucros aumentados.

Imagem: Envato
Informações: Seth Casden para Retail Touch Points
Tradução: Central do Varejo