Connect with us

Operação

Deskless: como os varejistas podem engajar o trabalhador moderno sem mesa?

Published

on

deskless

Globalmente, 80% (2,7 bilhões) da força de trabalho é “deskless” – ou seja, seu trabalho ocorre além dos limites de uma mesa ou ambiente de escritório. Nos setores de varejo, restaurantes e hospitalidade, essa população soma 613 milhões de trabalhadores, sendo uma parte significativa composta por trabalhadores da linha de frente.

Na maioria das vezes, uma responsabilidade central dos trabalhadores deskless é interagir com clientes ou produtos. E as demandas sobre seu tempo continuam a aumentar, especialmente à medida que varejistas e restaurantes esperam que o tráfego de clientes nas lojas aumente este ano. De fato, as previsões indicam que o tráfego nas principais áreas de varejo atingirá os níveis pré-pandêmicos no terceiro trimestre de 2024 e os superará em 2025.

Para acompanhar a demanda dos consumidores, muitas empresas introduziram novas tecnologias para apoiar a produtividade dos trabalhadores da linha de frente no varejo, restaurantes e hospitalidade. Ao longo de seus dias, os trabalhadores sem mesa alternam entre conversas presenciais com clientes e aplicações diferentes que abrigam funções críticas do trabalho, como treinamento, agendamento e gerenciamento de tarefas. Embora a maioria das aplicações suporte apenas uma ou duas funções, cada uma é crítica para o sucesso deles – e do negócio.

Os dados sugerem que todos os tipos de trabalhadores usam 6 ou mais aplicações empresariais por dia, um aumento acentuado desde 2018. Em média, os trabalhadores desperdiçam 62 dias por ano (o dobro desde 2018) apenas navegando por aplicações empresariais, tirando um tempo valioso de atividades de maior impacto.

O que está em jogo para os varejistas

O tempo que os trabalhadores sem mesa gastam procurando a aplicação certa para a tarefa certa poderia ser melhor gasto impulsionando as vendas ou conectando-se com os clientes.

Com o aumento do tráfego de clientes, as interações presenciais com consumidores tornam-se mais cruciais do que nunca. De acordo com dados de pesquisa de uma marca global de calçados e vestuário, embora muitos clientes façam suas compras online, eles ainda preferem visitar as lojas pessoalmente para obter aconselhamento dos atendentes sobre estilos de produtos ou ajuste antes de tomar uma decisão de compra. Por outro lado, quando as expectativas de serviço do consumidor na loja não são atendidas, eles muitas vezes saem frustrados.

Cada interação presencial é uma oportunidade para os trabalhadores construírem confiança em nome da marca que representam. Seja qual for o setor, o tempo e a produtividade dos trabalhadores são críticos para o sucesso e a lucratividade de uma organização. Em um mercado de trabalho competitivo e caro, com salários da linha de frente em ascensão, as empresas precisam de uma maneira mais simples de capacitar as equipes para gerenciar tarefas administrativas e treinamento, enquanto proporcionam experiências excepcionais aos clientes.

Um aplicativo projetado para trabalhadores deskless

A pesquisa da Point B indica que mais de 90% dos trabalhadores da linha de frente concordam que a tecnologia os ajuda a cumprir as exigências diárias do trabalho. Ainda assim, a maioria dos sistemas e aplicações não são intuitivos ou fáceis de usar. Muitas vezes, os trabalhadores da linha de frente não estão tão preparados para usar os sistemas quanto gostariam e acham a tecnologia no local de trabalho disruptiva para as interações com os consumidores.

Os funcionários das lojas — e até mesmo os trabalhadores de armazéns e centros de distribuição que atendem às demandas dos clientes no back-end — precisam reduzir o tempo gasto em responsabilidades administrativas para liberar capacidade adicional.

Para oferecer tecnologias por meio de uma experiência mais centrada no usuário e orientada por personas, muitas empresas trabalham com organizações como a Point B. Sua equipe de especialistas em consumo e varejo e tecnologia ajudou com sucesso centenas de milhares de trabalhadores da linha de frente a causar impacto além dos limites das ferramentas tradicionais.

Seu aplicativo para trabalhadores sem mesa oferece um hub digital intuitivo e autoguiado, projetado e construído para simplificar o acesso e apoiar as necessidades dos funcionários. Aproveitando os investimentos tecnológicos existentes dos clientes, a Point B e seus parceiros desenvolvem experiências personalizadas para os usuários empregados. APIs de sistemas empresariais habilitados para a nuvem, IA e plataformas de low-code desbloquearam a capacidade de construir aplicativos integrados de forma rápida e eficiente, proporcionando valor aumentado. Quando sistemas separados de treinamento, gerenciamento de tarefas, agendamento e RH são reunidos, os trabalhadores deskless podem gerenciar seus dias sem o custo da troca de contexto entre clientes e múltiplas aplicações.

Com tudo o que precisam em um só lugar e projetado para uso no trabalho, os trabalhadores da linha de frente podem facilmente acessar treinamentos sob demanda, informações transparentes sobre pagamento e benefícios, e agendar e trocar turnos de forma flexível. Além de encantar os funcionários em um mercado de trabalho desafiador, as empresas colhem as recompensas financeiras de trabalhadores da linha de frente recuperando tempo e liberdade para oferecer melhores e mais dinâmicas experiências aos clientes.

Imagem: Envato
Informações: Kirsten Markley & Jesse Burns para Retail Dive
Tradução: Central do Varejo